domingo, outubro 04, 2009

Atualizações

Sempre tem muita água passando debaixo da ponte, então quando fico tanto tempo sem postar tenho muitas novidades. O que é bom, porque ter novidades em geral é legal (rá, eu não disse sempre, atenção!), mas é ruim porque as informações se acumulam e alguma coisa sempre fica pra trás.
Vejamos, então:

* Houve uma boa quantidade de recursos no concurso de Curitiba, algumas questões anuladas (e eu suponho que eu havia colocado a resposta considerada certa no primeiro gabarito) e eu desci para a 26a. posição, fora das vagas iniciais (que eram 18). Isso na mesma semana em que saiu o resultado da Unesp: fui contra-indicada na avaliação psicológica. Coincidentemente os dois primeiros colocados já trabalham em outros campi da mesma universidade. Nesse concurso eu estava em quarto lugar. E na entrevistinha feita como parte da avaliação eu era a única sem experiência em biblioteca universitária e a única ainda sem me formar.

* Charles, nosso cachorrão, morreu (opa, isso eu havia postado, mas tudo bem, faz parte do período coberto pelo post).

* Ainda assim fui a Curitiba novamente, para a avaliação psicológica do concurso de lá. Dessa vez mamãe me acompanhou. Como a prova era domingo cedo fomos pra lá na véspera, de manhã. Engoli (NOOOOT) todo meu pavor de avião, saímos de Campinas às 10 (um pouquinho depois, na verdade) e chegamos a Curitiba às 11. A maravilha da rapidez, mal deu tempo de comer um biscoitinho e tomar um suquinho.

* O sábado foi mais fresquinho, andamos de agasalho e batemos uma boa perna. Refletimos a respeito da estranha fixação das pessoas por shopping centers (fomos almoçar no Mueller, que estava no nosso caminho do Centro Cívico, onde nos hospedamos, ao centro histórico), fizemos o pogramão turístico de passear de ônibus aberto, descemos no Jardim Botânico, na Ópera de Arame (e tomamos café, comemos torta), à noite fomos pra Santa Felicidade. Viajar com mamis é bom demais.

* Domingão: acordo, chego ao local da prova e descubro que não tem entrevistinha nem dinâmica (alvíssaras!), mas tem teste palográfico (aquele de fazer os pauzinhos verticais um igual ao outro, que vocês provavelmente conhecem de testes psicotécnicos pra carteira de habilitação) e formulário de personalidade, pra eu avaliar um monte de atitudes e dizer se elas eram nada, pouco, muito ou totalmente características de minha pessoa. O resultado só sai no dia 27.

* De volta ao centro, encontrei minha mãe na feirinha, fomos obrigadas a comprar blusinhas pra suportar o calorão e o sol (a previsão era de frio e chuva, crianças; eu tinha blusas de manga curta, mas ficaram láá no hotel), batemos um pouco mais de perna e voltamos pro hotel pra fazer o checkout. Depois deixamos as malas no malex da rodoviária, almoçamos no Estação (lá deu pra fugir da muvuca de xópim porque havia mesas láááá longe), andamos um pouco pela livraria (e, a propósito, oi Nobel, oi Siciliano, fazer banquinha de livros a dérreal e quizerreal não dói nem arranca pedaço! Voltei de lá com um Capote e uma Del Priore por 28 reaus. Ao todo. Dois livros por menos de 15 mangos, nada mal), pegamos o ônibus pro aeroporto e....passamos duas horas enfiadas na sala de embarque porque o voo atrasou. Às 19:30 deveríamos estar dentro do carro, a meia hora de Atenas Paulista, mas ainda estávamos lendo na sala de embarque de Curitiba. Dizque a PF ficou vistoriando aviões em Floripa. Aí parece que mandaram outra aeronave no lugar, e no dia seguinte tinha uma notícia do UOL dizendo que houve suspeita de bomba em aeronaves que sairiam de Floripa em direção ao Rio, passando por Curitiba, Viracopos e SP. Me-da.

* Enquanto isso, em Wisteria Lane dos Pobres, DC e menininho passaram um final de semana tranquilo juntos: foram ao mercado, comeram direitinho, compraram peniquinho, brincaram bastante.

* No dia seguinte, que veio a ser segunda passada (28), começou o desfralde do Alê, estipulado pela escola. Então na segunda comprei toneladas de roupas (que anjos guardem em bom lugar o inventor do tactel), dois pares de sandália, um tênis, um chinelo novo, e mandei menininho pra escola. Nos dois primeiros dias foi sofrimento total. Surtei mesmo, inclusive porque o moleque tinha medo de sentar no peniquinho que o papai comprou no domingo. Mas olha, vou admitir que a coisa está muito mais tranquila. Levar menino pra peniquinho o tempo todo enche o saco. De vez em quando escapa alguma coisa (tipos 15 minutos atrás, quando comecei a escrever esse post, precisei parar e ir recolher cocô na cueca, limpar menino, DC foi lavar pé, bunda e pernas melecados, fui passar pano no chão), e ele não curte ficar sentado, mesmo com toda a comemoração, com as efusivas despedidas ao xixi e ao cocô. A coisa está avançando melhor do que pensávamos.

* Menininho está um furacão. Não sossega um segundo, fala pelos cotovelhos, corre, mexe, ri, abraça, conversa com gatinhos, "ajuda" a pendurar roupa, fala ao telefone. Come e dorme bem, desenha, repara nas coisas, descreve tudo o que faz e o que vê acontecer na tela e ao vivo. A melhor coisa que existe no mundo.

* Na quinta apresentei meu TCC. Cheguei lá sentindo medo da pessoa errada. A professora do departamento que fez parte da banca foi muito delicada, elogiou bastante. Mas a convidada de fora a-ca-bou comigo e com o trabalho. Foi bastante feio. Ela me equiparou aos readaptados das bibliotecas escolares (aí eu me mordi pra caramba) e bradou que eu não sabia do que falava, porque não sabia nem o que era uma etiqueta de lombada, o que era catalogação, etecéteras mil, e isso era vergonhoso porque na disciplina Xis da graduação eu tinha aprendido isso e.... opa! Além de me defender (muito bem, na minha opinião) explicando as decisões tomadas na biblioteca da escola que ela criticou, precisei dizer a ela que não tivemos - ou tivemos com professores sem condições de ministrar aulas ou substitutos, a maioria ruins - a maior parte das disciplinas técnicas: normalização (aprender a usar as normas de ABNT pra trabalhos acadêmicos, referências, etc etc), representação descritiva (que é, basicamente,catalogar), indexação, representação temática (classificação), estudo de usuários, serviço de referência...fora o que foi sumariamente retirado da grade curricular. Então parece que essas informações foram uma grande novidade pra ela, que teve que ceder e recomendar uma nota mais alta (não, não foi com 10 minha aprovação. Foi 9,5 e estou felicíssima). Mas ó, a defesa durou, ao todo, quase 3 horas. A reunião da banca foi uma coisa interminável. Saí de orgulho feridinho, mas saí com sensação de dever mui bem cumprido. Agora é esperar a documentação da universidade ficar pronta, buscar o diploma e pedir meu registro no conselho de classe. Preciso também procurar algum presentinho pra minha orientadora, que me defendeu pra caramba na apresentação.

* No estágio: caiu a mesona maciça imensa que ficava no fundo da biblioteca e que estava cambaia fazia tempo, já havíamos avisado e morríamos de medo de cair em cima de algum aluno. E ninguém foi lá ver, saber por que houve o barulhão, ou tirar de lá o trambolho, pedido feito e refeito por nós. Os livros do armário não voltaram a ser trancados e minha quase-chefe viu que estão sendo devolvidos ou renovados direitinho. Mas o fuzuê nos intervalos se intensificou, a mesa bloqueando a porta voltou ao lugar e antes disso dar rolo e chegar à Direção de novo por meio do falatório dos professores (que deviam fazer um estágio de uma semana lá pra ver como é, antes de meter a boca) percorri todas as salas avisando que precisaríamos fazer um tratamento mais de choque contra o povo que aparece lá pra comer, pra correr, brincar de luta livre, ocupar o único micro com internet pra procurar bobagem, tirar livro de estante à toa (me fala pra que aluno de quinta série vai abrir livro de matemática de terceiro ano de Ensino Médio, faz favor?), e que ainda dá risada da nossa cara quando vamos lá avisar de novo que não é pra chupar laranja, brincar de empurra-empurra, que tem um pátio grandão lá fora pra isso. Chatíssimo. Me senti a bibliotecária véia e ranzinza. Ah sim, e também fiz um pega-pra-capar com os leitores atrasados. Devo dizer que foi um sucesso. Voltaram muitos livros, alguns emprestados desde maio.

* A próxima parada da Caravana dos Concurseiros é em São Paulo, capitar, em duas semanas. E eu hei de estudar pra esse, que está concorridíssimo. E eu sei o quanto quero trocar de emprego logo.

* Quando olho para fazendas, sítios, chácaras, terrenos baldios ou pastos imagino quadradinhos, um do ladinho do outro. Efeito Farmville.

Ai, será que acabou? Não sei. Vou ali preparar o pequeno desfraldado para dormir e se for o caso volto. Queixas a respeito do tamanho excessivo do post podem ser enviadas pelos comentários. Muito obrigada pela atenção.

12 comentários:

Bia, Desperate Housewife disse...

Parabéns pela sua defesa,parabéns pela paciência em desfraldar Ale, parabéns por ter andado de avião.
E te digo que me recuso a brincar de fazenda na net, medo de viciar. Sou adicta pra isso. E olha que tenho uma fazenda no facebook, que deve estar um lixo.

xatata disse...

sumpa? 2 semanas? me avisa, meu!!!!fica aqui em casa, vamos comer sushi, sei lá, qquer coisa!!!

Anônimo disse...

e os alunos, como ficam? em todo caso, sorte no concurso de Sampa. É estadual ou particular?
bjs
madoka

Deh disse...

Madoka, caso eu passe em algum concurso peço exoneração assim que for convocada a assumir. Mas continuar no magistério não dá pra mim.
O concurso é estadual, USP. :)
Bjo!

Anunciação disse...

Queixa nenhuma,bela.Muito pelo contrário.Adoro ficar a par de sua vida e do jeitinho que vc conta.Parabéns pela determinação,pelo sucesso no TCC,apesar das marmotas,e parabens pelo menininho.

anna v. disse...

Fico feliz de saber que a operação desfralde vai sendo realizada com sucesso. Temo e anseio por esse momento em igual proporção.
Quanto aos trabalhos, parabéns pela eterna perseverança na sua luta implacável contra o sistema, hehe.

Luiza disse...

Parabéns pela apresentação do TCC! Que alívio.
Boa sorte com a operação desfralde, que acredito seja bem menos complicada em lugar que não é frio como o Rio Grande, e se o menino colabora (não era o caso por aqui, porque o guri só deixou as fraldas com 2 anos e meio...).Mas tenha fé, demora um pouco mas logo ele acostuma.
E boa sorte nos concursos também!
Depois diga qual o tipo de vaga interessa pra ti, para o caso de aparecer alguma seleção em Porto Alegre.
Beijão!

Anônimo disse...

deh, pra qual faculdade vc vai? eca?
sorte aí, pena dos aluninhos né?
madoka

Deh disse...

Luiza, ele já tá acostumando, tem dia que vai sozinho fazer xixi, eu olho e ele tá lá sentadinho. :)
Eu tô atrás de vagas de bibliotecário. Se souber de algo me avise, por favor. Obrigada!

Madoka, o concurso é pra bibliotecário em qualquer unidade, qualquer campus da USP na Capital.
Ah, olha. Pena dos alunos? Tô numa chateação tão grande que num tô ligando. Ontem uma aluna agrediu (verbal e fisicamente) uma colega. Fiquei besta, aluna de 5a série. Fiquei pensando nisso, sabe. Que inferno a que a gente se sujeita...quero mais isso pra mim não...

Deh disse...

Colega, quis dizer colega minha. Professora.

Suzi disse...

Deh, seguinte:
Vc esteve aqui e me passou uma mensagem? Eu estava com visitas de Sampa, elas me passavam varias mensagens e a tua (se foi sua) me perguntando se eu estava em curitiba, passou batido em meio a umas 3 que me perguntavam basicamente a mesma coisa e retornei pensando que tinha falado com todos. Doidera, eu sei. Só me dei conta hoje ao limpar a caixa de entrada de mensagens e nao reconhecer o numero do envio. Sorry, muito sorry se foi vc. E, mais irônica ainda, NÓS FOMOS À MESMA FEIRINHA e tomamos chopp no Bar do Alemão. Ou seja, é muito possivel termos nos cruzado.
Me perdoa?
beijos!

Suzi disse...

Deh, seguinte:
Vc esteve aqui e me passou uma mensagem? Eu estava com visitas de Sampa, elas me passavam varias mensagens e a tua (se foi sua) me perguntando se eu estava em curitiba, passou batido em meio a umas 3 que me perguntavam basicamente a mesma coisa e retornei pensando que tinha falado com todos. Doidera, eu sei. Só me dei conta hoje ao limpar a caixa de entrada de mensagens e nao reconhecer o numero do envio. Sorry, muito sorry se foi vc. E, mais irônica ainda, NÓS FOMOS À MESMA FEIRINHA e tomamos chopp no Bar do Alemão. Ou seja, é muito possivel termos nos cruzado.
Me perdoa?
beijos!