quinta-feira, dezembro 17, 2009

Irrelevâncias

- Eu tenho dificuldade para deletar pessoas do orkut, embora reconheça a leveza que o ato em si causa na minha alma;

- Eu também resisto à ideia de deletar a minha conta no referido sítio de relacionamentos e no outro, o que tem a fazendinha;

- Aliás, fazenda. A minha se resume a torrões de terra inculta, vacas, galinhas, tartaruga e planta carnívora abandonadas, árvores frutíferas carregadas;

- Chega o final do ano e minha vontade de falar barbaridades pras pessoas aumenta. Pelo bem da civilidade eu só esbravejo mentalmente, na maior parte das vezes;

- Um exemplo: a pessoa faz uma merda gigantesca, piora a merda que fez com decisões e atitudes equivocadas. A casa cai. Aí a pessoa vem pedir apoio dizendo algo como "vocês, que são pessoas justas, cristãs...". E eu fico só na vontade de dizer "Eu não sou cristã. Nem justa. E você continua errada e ferrando os outros. Vá tomar banho na soda". Fico quieta. Tudo em nome da covardia civilidade.

- Xópim center me deprime nesta época do ano, assim como centros comerciais em geral e eu estou a salvo do surto consumista natalino; eu me pergunto se isso é coisa minha ou se foi causado ou mesmo potencializado pela falta absoluta de fundos aplicáveis em compras e presentes;

- Isso aí: em 2009 a única pessoa presenteada será Alexandre, mas será algo bem simples. Avós, pais, tios, cunhados, irmãos, sobrinhos, todos esperarão que eu mude de emprego e/ou chegue oportunidade mais legítima de demonstrar apreço. Sério mesmo.

- D.C. será presenteado amanhã por conta do aniversário, mas já sabe que é o presente-de-consolação-até-eu-mudar-de-emprego-e-ganhar-mais.

- Eu não gosto de Natal, embora goste da sensação de final de ano, de fechar um período etc. Gosto mais de aniversário, pra ser sincera; penso que é um dia só meu e tal (desculpaí, J.C. Gosto mais do meu aniversário do que do teu, até porque...né?);

- Eu não vi Lua Nova, Julie&Julia, nem verei Avatar. Não vou ao cinema desde os Bastardos Inglórios. Não sei se sinto falta agora, neste momento. Talvez seja efeito do antialérgico que tomei no final da tarde, mas só penso em dormir.

- Amigos e conhecidos que usam meu endereço eletrônicos pra fazer divulgação de amigos, companheiros e cupinchas em geral são candidatos a ganhar passagem sem escalas pra caixa de spam. Porque aí nem é mais amizade ou nada: começa a virar chatice. Não vou comprar nada, não estou em clima consumista natalino, sorry. Escreva pra perguntar "oi, tudo bem?" assim, curto e grosso, mas não me venha com anúncio.

- Achamos que eu posso ser convocada para levar a extensa lista de documentos a Sandwich City em cerca de um mês. Até agora estamos apenas pesquisando escolas e imóveis pela internet. E, céus, como aquela cidade é cara. Tô besta.

- Na festa de final de ano meu filho era a única criança que não usava sapatilha, e sim tênis. Mas o caso é que o aviso "providenciar sapatilha na cor preta" estava em um recado mandado no mês de agosto, quando chegou o primeiro informe sobre o festival, as danças e a fantasia. Nem me doí muito, sério (mentira, eu pensei que sou uma bosta de mãe, porque todas as outras foram diligentes e não esqueceram da sapatilha, mesmo com a antecedência do aviso e nenhum reaviso). Com o final do ano que tivemos em casa já foi um grande feito termos enviado o menino com um tênis escuro e não de All Star vermelho (que, aliás, combinaria com o lenço encarnado e a faixa na cintura). Mas vejam, ele dançou e foi lindo.

- Eu sei que já tuitei isso, mas peguei pra reler O tempo e o vento. Minha mãe já perguntou de cara "querendo descansar a cabeça, é?". E enquanto leio é como se ouvisse uma voz mansa e conhecida contando cada cena à meia-luz, antes de eu dormir, em noite de chuva.

- A tela do quintal chegou. Na mesma semana em que o concurso foi homologado, ou seja, quase às vésperas de irmos embora. Timing FAIL. Mas ao menos não temos mais Diná sassaricante, invadindo casas de gente que fazia reforma até tarde, que trepava e berrava e gemia e incomodava e constrangia os vizinhos e não ligava vizinhos.

- As férias do Alê começam amanhã. E eu trabalho até dia 23.

2 comentários:

Suzana Elvas disse...

Oi, tudo bem? :o)
Sandwich City = Bauru? Ou Beirute?
Assim é que as férias das meninas acabam dia 4 de fevereiro. E eu volto a trabalhar também num dia 4 - de janeiro. Lindo, né?

Eu hoje fui bater pernas com as meninas. Supermercado e tal. Ontem foi banco e mais supermercado. Mas a gente passa numa feirinha de rua, num brechô, num camelô jeitoso. E eu compro uma coisa. Hoje gastei R$ 108 (foi uma orgia, eu sei) mas comprei um lustre LIN-DO em alumínio pintado - uma rosa gigantesca vermelha - e um cabideiro para as bolsas, com rosas amarelo-escuro numa feira de artesanato que está acontecendo aqui perto. Comprei ontem um sapato da Barbie para cada uma (R$ 19) e arcos novos para o cabelo (R$ 8 cada). "Agora estão devidamente presenteadas. Natal agora só Papai Noel". E como quem dá brinquedo é Papai Noel e o deste ano é na casa do pai, os brinquedos que elas pediram (que foram, surpreendentemente, quase nenhum) ficaram por conta do lado de lá.

Ah, Deh, o seu ano de 2010 vai ser FANTÁSTICO, acredite. Vai ser, sim. Que nem o meu. Ma-ra-vi-lho-so. Vai por mim.
Bjs

Anunciação disse...

No coments,rs.Feliz Natal e sucesso em 2010.